Estanislao Carenzo nasceu na multicultural Buenos Aires e tem dedicado a sua vida 
a viajar, a absorver influências e a partilhar 
a sua visão gastronómica por todo o mundo.
A sua especialidade? «Cozinha com uma forte base asiática e um toque muito pessoal
e sensorial, que reflecte a minha origem,
as minhas viagens e as culturas que conheço.»

Quando decidiu ser chef, aos 18 anos, recebeu orientação da chef Beatriz Chomnález 
e trabalhou em vários restaurantes 
na Argentina, nos Estados Unidos,
onde estagiou no famoso
restaurante do chef Daniel Boulud,
DANIEL, ou França, 
no restaurante La Côte d’Or,
com o chef Bernard Loiseau.

Em Paris, ao trabalhar voluntariamente
num restaurante vietnamita,
encantou-se com a cozinha daquele país,
por ser «variada, complexa, cheia de sabor
e totalmente despretensiosa». 
Com apenas 24 anos,
abriu o seu primeiro restaurante,
juntamente com dois amigos: o Sudestada,
em Buenos Aires. De inspiração asiática,
o espaço é um clássico da cidade. 
Depois, viveu um ano e meio no Japão,
num período que classifica como determinante,
pois permitiu-lhe perceber e aprender
como é que a sociedade japonesa
vê a cozinha, a cultura e as tradições. 

Em 2003 veio para a Europa
e abriu o Sudestada em Madrid,
com cozinha asiática e ingredientes espanhóis.
A este projecto seguiram-se outros,
também na capital espanhola. 
Em 2011, ao conhecer José Avillez,
compreendeu melhor a ligação histórica 
entre Portugal e a Ásia e ficou com vontade
de se mudar para Lisboa
e abrir um restaurante na cidade.
O projectou concretizou-se com a abertura
da “Casa dos Prazeres” e do “Rei da China“,
numa parceria com o Grupo José Avillez.

@ Estanis Carenzo